segunda-feira, 15 de junho de 2009

Matéria:" Contar histórias ajuda a formar inconsciente infantil"

" A criança que ouve histórias nunca mais se esquece de sua relação com o contador"


Contar histórias ajuda a formar inconsciente infantil
DÉBORA YURI - Revista da Folha de S.Paulo - 14/03/2004

Maria Eugênia, 8, cresceu convivendo todas as noites com seus amigos Come-come e Ninoca. Suas brincadeiras favoritas aconteciam no seu castelo mágico. Mas nenhum dos dois personagens existe, nem o castelo: tudo foi inventado pelo pai da garota.


"Na hora de colocá-la para dormir, comecei a contar histórias baseadas nos filmes da Disney. Percebi que ela ficava mais interessada quando eu a colocava dentro da narrativa", conta o consultor de marketing Carlos Eduardo de Moraes Lacerda, 50, o "inventor", do "castelo mágico da Maria Eugênia" e da "casinha da ratinha Ninoca".


Quando Pedro, hoje com dois anos, estava para nascer, Maria Eugênia começou a ouvir histórias cujo enredo já trazia o futuro irmão.


"Foi o melhor jeito que arrumamos para prepará-la", diz Lacerda, que compartilha a tarefa com a ex-mulher, a publicitária Juliana Geve, 35.


"Essa é a nossa divisão: ela lê livros, eu invento."Contar histórias, sejam de autores clássicos ou fruto da criatividade pessoal, é uma tradição fundamental para o crescimento.


"É o primeiro contato das crianças com o percurso de desenvolvimento humano. Elas vêem heróis e heroínas encarando obstáculos, vão aprendendo que é preciso enfrentar um problema e buscar solução", diz Regina Machado, 53, coordenadora do grupo de contadores de histórias do Núcleo de Arte e Educação da ECA-USP (Escola de Comunicações e Artes).


Ela ressalta a importância das histórias na formação do inconsciente infantil.


"Personagens como a mãe boa e a bruxa malvada ajudam a elaborar certas relações nessa faixa etária, como a ligação da criança com sua família, além de transmitir conceitos sobre o bem e o mal, o certo e o errado.


"O hábito ainda promove a interação entre pais e filhos. "Os dois lados compartilham um espaço diferente do dia-a-dia e trocam valores humanos básicos", diz Machado, que ministra cursos de contadores de histórias e lançará na Bienal o livro "Fundamentos Teórico-Poéticos da Arte de Contar Histórias" (editora DCL).


A ficção infantil, sobretudo o conto de fadas, é também a porta de entrada da criança no universo cultural. A literatura infantil é um caminho que pode levar a outras artes, como o cinema", diz Roxane Rojo, professora de lingüística aplicada da PUC-SP.


Ela sugere que o primeiro livro da vida seja dado como um presente de nascimento ao bebê. "Ele será usado um pouco mais tarde, mas é bom já ir deixando o quarto do filho cheio de livros", afirma.


Rojo faz um alerta: a escola tem papel fundamental na criação dos jovens leitores. "Os próprios pais têm de valorizar o livro, o que muitas vezes não acontece. Por isso é obrigação da escola inserir a leitura no programa desde a educação infantil."




Contadores




O interesse pela atividade fez pipocar cursos que pretendem ensinar como ser um bom "narrador", e grandes livrarias passaram a incluir em sua programação de final de semana oficinas com contadores de histórias. "Antes eu capacitava muitos professores, hoje o grosso do público são pais e mães", diz o arte-educador Giuliano Tierno, 26, que ministra cursos em todo o Estado.


Com o tempo, segundo Giuliano, o processo natural é que os papéis se invertam, e a criança comece a contar as histórias ouvidas. "Geralmente ela pede para o adulto contar várias vezes a mesma história, até decorá-la."


Carlos Lacerda conta que ficou emocionado há algumas semanas, quando levou a filha Maria Eugênia ao cinema. Juntos, eles assistiram "Peixe Grande e suas Histórias Maravilhosas", filme de Tim Burton que mostra a relação entre um pai contador de casos fabulosos e seu filho."


Acho que a criança que ouve histórias na cama nunca mais esquece a relação que estabelece com seu "contador'", diz.


Quer jeito mais gostoso de se tornar inesquecível?


Imagem: Ana Afonso (clique na ilustração para visitar o blog da ilustradora)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ouça a estória "O galo rouco e o rato esperto", da Cigana Contadora de Estórias!

Quer saber quando tem estória nova no blog?

Apresentações de contadores de estórias

Palavra Cantada - O rato
Clara Haddad - O coelho e o baobá

Cia Ópera na Mala - A sopa de pedras do Pedro

Cia Ópera na Mala - Pedro Malazartes e o pássaro raro

Eventos & Cursos

A atualizar