terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Conto: "O mistério das três estatuetas de ouro"

Depois de dar à luz meu caçulinha, Lucas, na última sexta-feira, dia 29/01, estou voltando, pouco a pouco, às minhas tarefas diárias. A recuperação de uma cesariana é tranquila, desde que sejam seguidas as orientações médicas. Cinco dias depois da cirurgia, sinto-me muito bem, mas acredito, como disse antes, que ainda vou levar um tempo para voltar a me apresentar como contadora de estórias.


Nesse meio tempo, enquanto aguardava a chegada do meu filhinho, encontrei uma estória muito legal, que trago hoje. É um conto de origem persa e fala de um desafio real. Interessante para audiências mais maduras, que podem compreender as suas alusões, que lembra um pouco a estória dos "Três Macacos Sábios". A adaptação e tradução são minhas.


O mistério das três estatuetas de ouro
Um rei chamado Amar Singha queria testar a inteligência de um rei vizinho, Rana Roy, e o discernimento do povo dele. Amar Singha enviou ao rei três estatuetas de ouro com a mesma aparência e o mesmo peso. O rei deveria descobrir qual delas era a mais valiosa.

Junto com sua corte, Rana Roy olhou bem as estatuetas, mas foi incapaz de ver a mínima diferença entre elas. Mesmo o mais sábio do seu reino não conseguia distinguir diferença alguma. Era deprimente para o rei pensar na desgraça de ter um reino onde ninguém era inteligente o suficiente para perceber a diferença entre as estranhas imagens, iguais em tudo, na aparência, tamanho e peso. O reino inteiro tentou descobrir o mistério, mas ninguém conseguiu.

Justamente quando eles estavam prestes a desistir, um jovem chamado Brajesh mandou uma mensagem da prisão onde ele estava. Disse que ele poderia descobrir a diferença se ele pudesse ver as estatuetas. Rana Roy mandou que o trouxessem ao palácio e mostrou as imagens a ele. Brajesh olhou-as muito cuidadosamente;

Depois de um tempo, ele notou que todas as três estatuetas tinham um pequeno buraco na orelha. Ele inseriu uma linha de prata bem fininha e descobriu que, na primeira estatueta, a linha saía pela boca. Na segunda estatueta, a linha saía pela outra orelha e, na terceira, saía pelo umbigo. Brajesh ficou pensando, pensando. Olhava as estatuetas e os lugares por onde a linha saía. Da orelha para a boca, da orelha para a outra orelha, da orelha para o umbigo. Por fim, um sorriso iluminou seu rosto. Achara a solução do mistério.

- Majestade, disse ele, eu acho que a solução desse quebra-cabeças está diante de nós como um livro aberto. A nós apenas cabe ler esse livro. Vossa Majestade vê, como cada pessoa é diferente de todas as outras, assim também são cada uma dessas estatuetas. A primeira nos lembra das pessoas que ouvem algo e se apressam em ir contar o que acabaram de saber. A segunda estatueta é como a pessoa em que a notícia entra por uma orelha e sai pela outra. A terceira, no entanto, é muito semelhante à pessoa que guarda para si mesma o que ouviu. Baseado nisso, Vossa Majestade é capaz de julgar o valor das estatuetas. Qual a mais preciosa?

O rei ficou contente com a solução do enigma, que logo apresentou ao colega que o tinha desafiado. Como prêmio por sua inteligência, Brajesh foi libertado da prisão e as três estatuetas podem ser vistas em lugar de honra no palácio do rei Rana Roy. Só não me perguntem onde ele fica...

11 comentários:

  1. Eu usei esse texto para fazer um teatro :D

    ResponderExcluir
  2. esse texto é muito extenso, tinha que dar uma resumida nele, fui tentar, tentar em, fazer um trabalho com ele e não consegui fazer por ser grande demais
    desculpa a rigidez eu só disse a verdade

    ResponderExcluir
  3. Não gostei muito.. conhecia uma versão parecida.

    ResponderExcluir
  4. GOSTEI,MAS NÃO ACHEIK AQUELAS COISAS

    ResponderExcluir
  5. vou usar pra faze trabalho de skola

    ResponderExcluir
  6. E LEGAL,E MT INTERESSANTE POIS ELE EXPECIFICA MELHOR O JEITO Q AS PÉSSOAS REAGEM AO OUVIREM ALGO INTERESSE,E TBM E DE ONDE MANOS A GENTE ESPERA Q A AJUDA VEM.

    ResponderExcluir
  7. Meeee la em cima tem um erro de portugues -.-

    ResponderExcluir
  8. ñ li ainda mas serve para fazer um trabalho de skola de ultima hora

    ResponderExcluir
  9. Que bom! Fico feliz que o conto sirva para você.

    ResponderExcluir
  10. Nossa vlw e agora n tirarei nota baixa!!!
    É mt legal!!!
    Obg: Eu!!!

    ResponderExcluir
  11. mt bom mt melhor para salvar nota de um trabalho de ultima hora da skola...

    ResponderExcluir

Ouça a estória "O galo rouco e o rato esperto", da Cigana Contadora de Estórias!

Quer saber quando tem estória nova no blog?

Apresentações de contadores de estórias

Palavra Cantada - O rato
Clara Haddad - O coelho e o baobá

Cia Ópera na Mala - A sopa de pedras do Pedro

Cia Ópera na Mala - Pedro Malazartes e o pássaro raro

Eventos & Cursos

A atualizar