segunda-feira, 24 de abril de 2017

A pedra na porta - conto marroquino

A pedra na porta - ilustração de Meredith Johnson
Era uma vez um homem que havia ganhado tanto dinheiro que nem sequer conseguia contar. Ele só queria proteger a si mesmo e a seu filho amado. Mas, infelizmente, todo o seu dinheiro não poderia evitar a mortalidade. O homem ficou gravemente doente e, quando compreendeu que iria morrer, chamou seu filho ao seu lado.

"Deixo-te uma fortuna", disse ele ao rapaz, "e você deve se proteger contra aqueles que não são verdadeiros. Quando você decidir que é hora de se casar, vá para o meu amigo mais velho e peça que ele encontre uma noiva. Ele vai encontrar a noiva que Deus escolheu para você. "

O jovem prometeu que faria o que seu pai pediu. Logo depois disso, seu pai morreu.

O tempo passou e assim o jovem começou a desejar o amor. E quando decidiu que queria se casar, cumpriu sua promessa e visitou o amigo de seu pai para buscar seu conselho. O amigo lhe disse que encontraria a noiva perfeita.

Poucas semanas se passaram até que o velho amigo de seu pai finalmente encontrou uma mulher bonita, sábia e confiável. O jovem estava muito feliz em ouvir isso, e então eles começaram a fazer arranjos para um grande casamento.

No dia anterior ao casamento, o amigo do pai disse para o jovem: "Para descobrir se Deus realmente escolheu esta mulher para você, você deve ir a seu quarto esta noite. Você encontrará uma pedra fora de sua porta. Se você puder mover a pedra, você saberá que ela é a escolhida. Se você não conseguir mover a pedra, você deve enviá-la de volta para casa. "

Naquela noite, o jovem foi até a porta da moça e, de dentro, ouviu uma voz cantando uma linda canção. Imediatamente ele soube que esta deve ser a mulher para ele, pois a canção soava como uma que ele lembrou de sua infância. Seu coração disparou de excitação quando ele espiou através da porta entreaberta e viu uma linda mulher vestida com vestes de seda. Ela era elegante e lembrou-lhe de sua falecida mãe. Ao lembrar-se da ternura que sentira nos braços de sua mãe, ele se abaixou para mover a pedra.

A pedra não era muito grande, mas quando ele tentou movê-la da porta, ele não conseguiu, nem mesmo uma polegada.

Ele soube então que esta noiva teria que voltar para sua família. Ele estava triste porque tinha tanta certeza de que ela era a única para ele.

E assim o amigo do seu pai arranjou uma nova moça. Mais uma vez, uma data de casamento foi estabelecida, e a segunda noiva chegou à casa. Mais uma vez o velho amigo disse ao jovem o que ele tinha que fazer: "Haverá uma pedra fora de sua porta, se você puder movê-la, você saberá que esta é a esposa que Deus escolheu para você".

Quando o jovem se aproximou da porta, mais uma vez ouviu a canção familiar, mas desta vez foi uma harpa a tocá-la. Quando ele olhou para o quarto, viu uma mulher tão bonita quanto a que veio antes dela. Seus dedos dançaram através das cordas da harpa, e quando ela começou a dançar, ele teve certeza de que ela era a noiva certa para ele.

Ele então se abaixou para mover a pedra. Porém, mais uma vez, ele não conseguiu movê-la nem uma polegada. Seu coração ficou pesado de tristeza, e novamente a noiva voltou para sua família.

Pela terceira vez, o amigo do pai arranjou uma noiva, embora agora o jovem estivesse desanimado. Ele sabia que aquela mulher seria linda, naturalmente, e naturalmente ela seria sábia e gentil. Disso ele estava certo. Mas e se ele não pudesse mover a pedra novamente? Deveria então viver para sempre sozinho?

Com esses pensamentos tristes no coração, ele caminhou lentamente em direção ao quarto da noiva. E, pela terceira vez, ouviu aquela canção de sua infância, a canção que lembrava todos os amigos que já conhecera, os dias em campos ensolarados, as noites sonhando sob as estrelas, subindo em árvores, nadando nos rios e dançando entre amigos. O quanto ele tinha desfrutado daqueles dias de infância. O quanto ele amava seus amigos. O quanto havia sido feliz.

E desta vez, quando olhou para dentro da sala, viu uma mulher vestida de camponesa, com os cabelos longos, escuros e macios como a seda. Seus olhos estavam iluminados por uma alegria interior, e ela costurava uma linda colcha enquanto cantava.

Enquanto ele ouvia, o jovem percebeu que as três noivas poderiam ter sido a mesma mulher - bonita, sábia, atraente e gentil, alguém para amar e alguém que seria sua companheira fiel.

Mas quando ele se abaixou para mover a pedra, mais uma vez ele não conseguiu movê-la nem uma só polegada.

Ele estava prestes a chorar quando de repente viu uma sombra passar pela porta, e ele ouviu uma voz gentil dizendo: "Deixe-me ajudá-lo." A mulher estendeu a mão em direção à pedra, junto com ele, e assim os dois conseguiram afastaram a pedra com facilidade.

O jovem soube então que finalmente havia encontrado a noiva que Deus havia escolhido para ele, e ela também soube que esse era o homem que Deus queria que ela amasse.

Mas eles também entenderam algo a mais: encontrar o ser amado, apenas, não era suficiente. Eles perceberam que deveriam sempre trabalhar juntos para mover as pedras que vez por outra bloqueiam as portas que levam a uma vida rica e feliz.

****
Fonte: Tell me a story, by Amy Friedman and Meredith Johnson
Tradução e adaptação: Gabriela Kopinits

2 comentários:

Ouça a estória "O galo rouco e o rato esperto", da Cigana Contadora de Estórias!

Quer saber quando tem estória nova no blog?

Apresentações de contadores de estórias

Palavra Cantada - O rato
Clara Haddad - O coelho e o baobá

Cia Ópera na Mala - A sopa de pedras do Pedro

Cia Ópera na Mala - Pedro Malazartes e o pássaro raro

Eventos & Cursos

A atualizar