sexta-feira, 27 de novembro de 2015

"Alice no País das Maravilhas" completa 150 anos de publicação

Primeira edição do livro
Uma das mais significativas obras da literatura infantojuvenil no mundo, "Alice no País das Maravilhas", escrito por Lewis Carroll, completou ontem, dia 26 de novembro, 150 de publicação. Com o título original de "Alice's Adventures in Wonderland" (Aventuras de Alice na Terra das Maravilhas, tradução ao pé da letra), o livro foi ilustrado por Sir John Tenniel.
Diz a história que Lewis Carroll, então simplesmente  Charles Lutwidge Dodgson, professor de Matemática no Christ College, em Oxford, Inglaterra, passeava de barco pelo Rio Tâmisa com um amigo e três meninas - Lorina Charlotte, Edith Mary e Alice Pleasance Liddell, filhas de Henry George Liddell, vice-chanceler da Universidade de Oxford, quando, a pedido das meninas, inventou uma estória para entretê-las. A estória agradou tanto a elas que virou, em 26 de novembro de 1864, o manuscrito "Alice Debaixo da Terra" (título original Alice's Adventures Under Ground).  
Alice Liddell e Lewis Carroll em 1865
Sir John Tenniel
A primeira edição foi rejeitada pelo ilustrador, que reclamou da qualidade da impressão. O curioso é que, em 1988, essa mesma primeira edição foi leiloada por 1,5 milhões de dólares. Traduzida para mais de 125 línguas, "Alice no País das Maravilhas" ganhou versão animada pelos Estúdios Disney em 1951 e, em 2010, sob a direção de Tim Burton, teve sua segunda versão cinematográfica, com a participação do ator Johnny Depp como o Chapeleiro Maluco e a atriz Helena Bonham Carter como a Rainha de Copas . A continuação, Alice Através do Espelho, também sob a direção de Tim Burton, com atores do primeiro filme, deverá ser lançada em maio do próximo ano. Assista o trailer aqui.
A famosa "festa de desaniversário", ilustração original de Sir John Tenniel (1864)

Versão da Disney de 1951

Johnny Depp como o "Chapeleiro Maluco" no filme de Tim Burton (2010)

Helena Bonham Carter, como a Rainha de Copas

O livro ganhou uma continuação em 1871 com "Alice Através do Espelho" (Through the Looking-Glass and What Alice Found There), quando surgem outros personagens, como os irmãos Tweedledee e Tweedledum, Humpty Dumpty e o terrível  Jabberwocky. Num dos trechos, há um diálogo memorável de Alice com a Rainha Branca, quando Alice se espanta com a idade da rainha, que diz ter 101 anos, 5 meses e um dia e diz não acreditar nela:


- "Não se pode acreditar em coisas impossíveis" - fala Alice.

- "Eu ouso dizer que você não teve muita prática", disse a Rainha. "Quando eu tinha a sua idade, eu sempre fazia isso por meia hora por dia. Oras, às vezes, eu acreditava em tanto quanto seis coisas impossíveis antes do café da manhã. "

Alice Através do Espelho, ilustração de Sir John Tenniel

O livro já está em domínio público e você pode baixá-lo aqui.









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ouça a estória "O galo rouco e o rato esperto", da Cigana Contadora de Estórias!

Quer saber quando tem estória nova no blog?

Apresentações de contadores de estórias

Palavra Cantada - O rato
Clara Haddad - O coelho e o baobá

Cia Ópera na Mala - A sopa de pedras do Pedro

Cia Ópera na Mala - Pedro Malazartes e o pássaro raro

Eventos & Cursos

A atualizar