quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Texto: "Quem hoje escreve já leu muuuito!" - Catarina Chagas

Encontrei essa matéria no site da Revista Ciência Hoje das Crianças e achei muito interessante. Fala de algo que defendo: a leitura é um hábito que deve ser incutido e estimulado desde cedo. Grandes autores foram leitores ávidos quando criança. Confira a matéria:

Quem hoje escreve já leu muuuito!
Autores das aventuras literárias que hoje te encantam também adoravam ler quando crianças
Catarina Chagas
(Ilustração de Mariana Massarani)

Você gosta de ler? Aposto que sim. E aposto, também, que vai adorar saber que os autores das aventuras literárias que hoje te encantam também adoravam ler quando crianças. Pois saiba que Pedro Bandeira, Ninfa Parreiras, Ana Maria Machado, Ricardo Azevedo, Fernando Vilela e João Carlos Marinho tiveram uma infância recheada de páginas ilustradas e cheias de histórias para contar. A CHC entrevistou esses escritores para saber por que eles escolheram essa carreira e o que eles gostavam de ler quando tinham a sua idade. Confira o depoimento de Pedro Bandeira a seguir e os demais, na CHC 206! Leitura companheira Em sua infância, Pedro Bandeira, autor de mais de 80 títulos, entre eles A marca de uma lágrima e O fantástico mistério de Feiurinha (os dois da Editora Moderna), encontrava nos livros grandes companheiros de aventura. “Meus irmãos eram mais velhos, então, eu ficava sozinho quando chegava da escola”, lembra. “Naquela época não tinha televisão e eram os livros que nos divertiam”.
Ele conta que ainda não existiam muitos livros infantis brasileiros, mas já lia as histórias de Monteiro Lobato (autor de Reinações de Narizinho). Lia, também, obras estrangeiras, como Os Três Mosqueteiros, de Alexandre Dumas, as aventuras de Tarzan e livros policiais como os do personagem Sherlock Holmes. “Eram livros para adultos, mas eu gostava, porque tinham aventura”, diz. E recorda como conheceu livros pra lá de famosos: “Na casa de um tio meu havia alguns livros grandes, com capas de couro, ilustrações bonitas a bico de pena. Lembro de um sobre cavalaria. Pedi o livro ao meu tio: era Dom Quixote, de Miguel de Cervantes”. Pedro é um apaixonado pela leitura, mas, quando jovem, não pensava em ser escritor, e, sim, ator. Começou a trabalhar como jornalista e só depois veio a oportunidade de escrever para crianças em revistas infantis. Os textos fizeram sucesso e, com 40 anos, Pedro publicou o seu primeiro livro, O dinossauro que fazia au-au.

***

Um comentário:

  1. Oi Gabriela
    Amei seu blogue...eu adoooooooro ler.
    Principalmente estórias infantis, apesar de já ter 46 ..47 anos...rsrsrs
    Comecei com Reinações de Narizinho e até hoje adoro lembrar do Dr. Cara de Coruja ..rsrsr..era assim que a Emilia chamava o Dr,. Caramujo...
    Vou vir sempre aqui ler as suas estórias..
    Beijão

    ResponderExcluir

Ouça a estória "O galo rouco e o rato esperto", da Cigana Contadora de Estórias!

Quer saber quando tem estória nova no blog?

Apresentações de contadores de estórias

Palavra Cantada - O rato
Clara Haddad - O coelho e o baobá

Cia Ópera na Mala - A sopa de pedras do Pedro

Cia Ópera na Mala - Pedro Malazartes e o pássaro raro

Eventos & Cursos

A atualizar